UM PASSEIO PELO SARASTRO

terça-feira, novembro 06, 2012






Fotos: Flávio Orrico


Esqueça os lugares escuros, com peças cheirando a mofo ou naftalina. Os brechós modernos estão bem longe dessa imagem. São lojas normais, com ambientes iluminados, vendedoras antenadas, roupas e acessórios vintage e seminovos dos mais baratos aos mais caros. E mais: podem ser uma ótima opção para reciclar roupas e acessórios.

Por que comprar em brechó? 
Esse tipo de negócio está se popularizando graças à difusão da importância do consumo consciente. Há muita roupa boa por aí que as pessoas não usam por terem comprado compulsivamente, por não fazer o estilo ou simplesmente por não servir mais. “Se você olhar o seu guarda-roupa e encontrar peças que não coloca há mais de um ano, certamente, não as usará mais. É melhor doar ou vender”, pondera a lojista. 
É por isso que no brechó é possível encontrar de itens vintage a trench coats de grife - tudo de qualidade e por um preço mais baixo. “A diferença de valor de uma peça da coleção passada, e usada, ultrapassa, às vezes, mais de 50%.
Limpinho
Normalmente, os brechós não compram peças velhas, rasgadas e manchadas. Elas são analisadas criteriosamente. Antes de irem para as prateleiras e araras, geralmente passam por um processo de desinfecção. Tudo isso para fugir do estereótipo da roupa velha. 
“Mesmo assim muita gente pergunta se é de alguém que já morreu. Eu sempre respondo que a maioria das fornecedoras está ‘vivinha’, pois elas aparecem na loja constantemente”, “Elas vendem porque querem renovar o guarda-roupa”. 
Paciência, muita paciência
Antes de ir ao brechó, pense no que está precisando, para não sair comprando compulsivamente. Outra dica é ter paciência para procurar. “A pessoa precisa ir sem pressa, para garimpar mesmo. Só assim vai encontrar itens incríveis”

You Might Also Like

0 comentários